Por que a maioria dos pequenos negócios não cresce?

Houve um registro de 5,4 milhões de negócios no setor privado no início de 2015.
De acordo com a Federação de Pequenos Negócios (FSB), 99,3% de todo o setor privado no início de 2015 eram de pequenos negócios e 99,9% eram de pequenos e médios negócios (PMEs).
Em 2015, havia 1,3 milhões de negócios gerando empregos e 4,1 milhão de negócios sem gerar empregos. Portanto, 76% dos negócios não empregaram ninguém, além do proprietário.  A população empresarial em geral também pode ser dividida em:

  • 3.3 milhões de empreendedores individuais ( 62 % do total )
  • 1.6 milhões de empresas ( 30 % ) e
  • 436.000 de empresas coletivas.

Outro fato interessante é que havia 2,4 milhões de negócios com registro de IVA ou PAYE¹, 44 % da população total. Um adicional de 3,0 milhões não tem registro de IVA ou PAYE.

O que estes números dizem?

A grande maioria dos negócios é composta por micronegócio com apenas um indivíduo. Ao mesmo tempo, muitas empresas não querem contratar pessoas, e talvez, prefiram terceirizar os seus serviços a outros subcontratantes.

Há muitas razões pelas quais um negócio não cresce, e acredito que as mais comuns são:

Escolha individual

Algumas pessoas simplesmente não querem o crescimento do seu negócio.  Elas preferem manter um empreendimento pequeno e resgatar o dinheiro em vez de reinvesti-lo para a empresa crescer.  Há também o medo de reinvestir as economias no empreendimento, caso este último esteja prestes a perder todas as economias acumuladas após semanas, meses ou anos de trabalho árduo.

A maioria dos empresários prefere recompensas pequenas em curto prazo em vez de grandes recompensas em longo prazo.  Eu entendo o motivo.  Todos nós vivemos em um ambiente empresarial onde nos tornamos viciados no ‘rendimento rápido’.

Mas o que tem de errado em ter um pequeno negócio e querer mantê-lo assim?  Não há nada de errado!

A pressão mental que enfrentamos hoje é que há centenas e centenas de livros sobre negócios escritos por grandes empreendedores e a grande maioria deles tenta convencer os pequenos empresários de que quanto maior for a empresa, mais bem sucedida será, e por fim, mais dinheiro ganhará. Isto é uma bobagem!

Conheci dois tipos diferentes de empresários.  Aquele que sabe claramente o quer alcançar em seu negócio em curto, médio e longo prazo, prevendo quantos clientes quer, o volume de negócios e quantos funcionários quer gerir.

O outro tipo de empresário é aquele que não sabe ao certo o que quer alcançar, ele tem uma ideia empresarial e quer dar uma chance a isso.  Então, se der certo, irá decidir se o negócio irá crescer ou não.

Também irá decidir a velocidade de crescimento da empresa.

Não há um caminho certo ou errado.  Por outro lado, não há como crescer sem reinvestir o dinheiro de volta no seu negócio.

Na maioria dos casos, se não em todos, um empreendimento maior significa uma estrutura maior, mais funcionários, mais sistemas, mais processos, um sistema de telefonia melhor, um website melhor, mais regras, mais equipamentos e mais dinheiro.

Nível de responsabilidade e liderança

Alguns empresários não querem aumentar o negócio, pois não querem ou não gostam de gerir outras pessoas. À medida que a empresa cresce, a responsabilidade cresce junto.

Um dos maiores desafios que um empresário enfrenta é gerir os funcionários, ao mesmo tempo em que é justo com todos eles durante o crescimento do negócio.

Você pode desenvolver características de liderança durante o crescimento, mas caso não goste de ser o líder da empresa ou sinta que o cargo não é para você, passe esta função a outra pessoa.

Mas você corre o risco dela não ter a mesma paixão pelo seu empreendimento e funcionários que você tem. Ouvi muitos consultores de negócios dizerem que minha empresa deveria adotar a regra ‘O cliente em primeiro lugar’, mas não é dessa forma que quero gerir.

‘Funcionários em primeiro lugar’ funciona melhor para mim, e acredito que ao manter os funcionários felizes os meus clientes também ficarão felizes.  Gerir um negócio como autônomo é completamente diferente de gerir uma empresa onde você emprega as pessoas.

Como autônomo, você é o único tomador de decisão, você administra o negócio da forma que quiser, e se estiver ganhando dinheiro, há duas opções: reinvestir os lucros no negócio ou embolsar o dinheiro.  Se quiser gerir uma empresa com funcionários, você deve estar preparado para, primeiro, cuidar dos funcionários, recompensá-los, e então, pagar a si mesmo se sobrar dinheiro. Não quero ser radical, mas o que estou tentando explicar é que um autônomo é apenas você, e quando começa a contratar funcionários é você e eles. Meus funcionários têm uma função mais importante que a minha.

Tipo de tomador de riscos

Gosto de comparar o nível de ‘assunção de risco’ com um jogo de pôquer. Você compra R$ 100 em fichas de pôquer. Após 6 horas de concentração e jogando moderadamente bem, você tem R$ 600 em fichas de pôquer.

No dia seguinte, você volta ao cassino com R$ 600 e tem algumas opções disponíveis:

1) Comprar R$ 100 em fichas de pôquer e jogar como no dia anterior.

2) Comprar R$ 300 em fichas de pôquer (obviamente, você manterá os outros R$ 300 como dinheiro ganho) e jogar com outros jogadores, cujas apostas são ligeiramente superiores.

3) Comprar R$ 600 em fichas de pôquer e jogar em um nível mais alto.

A questão é: este é o mesmo tipo de pergunta que você deve fazer a si mesmo quando precisa reinvestir o dinheiro de volta no seu negócio a fim de crescer.

Certifique-se de jogar na mesa certa e também estar preparado para perder. O que define um bom jogador de pôquer é sempre ganhar mais do que perder. A estratégia é: você deve administrar o negócio em um nível no qual se sinta confortável e que não esteja se colocando em uma situação de estresse ou medo de perder tudo.  Como eu disse antes, e gostaria de reiterar:  Não há nada de errado em manter o porte pequeno da empresa!

Modelo de negócio com dificuldade de crescimento e duplicação

Alguns modelos de negócio são mais fáceis de crescer que outros. Mas os serviços técnicos e especializados são mais difíceis de aprender. Se quiser aumentar o seu negócio e ele oferecer serviços, você deve estar preparado para ensinar outras pessoas. Ser um bom professor não é fácil e você deve ser paciente. Mas nem todo mundo está preparado para ensinar o que sabe aos outros. Não entendo o motivo, mas algumas ideias me vêm à cabeça.

A primeira é que ele não quer ensinar aos outros, pois quer se sentir o bem mais importante na empresa; a segunda é que também acredita que ao ensinar aos funcionários tudo o que sabe, eles podem decidir trabalhar por si mesmos ou trabalhar para outra pessoa.

Por favor, lembre-se de que se os funcionários têm habilidades técnicas para trabalhar de forma apropriada, isso não significa, necessariamente, que irão se tornar concorrentes. Ser um bom funcionário não é o mesmo que ser um bom empresário ou um bom líder. Ao mesmo tempo, se mantiver os funcionários felizes em um bom ambiente de trabalho e mostrar que a empresa quer ajudá-los a crescer dentro do negócio e como indivíduos, de todas as formas possíveis, eu duvido que tenham interesse em deixar a sua organização.

Não seja funcionário do seu negócio invista nele

Quantas vezes você já ouviu a frase: Você deve trabalhar para a sua empresa, investir nela, e não apenas trabalhar dentro dela? À medida que ela cresce você começa a entender o significado dessa frase, mas esteja ciente do seu significado.  À medida que o negócio emprega mais pessoas, a sua função passa a ser de gestão / liderança em vez de técnica ou operacional.  É claro que isso varia de acordo com o negócio e setor.

As funções do negócio podem ser reduzidas, mas não ache que o seu crescimento signifique menos horas de trabalho ou investir mais na empresa em vez de trabalhar.

Todas as pessoas bem sucedidas que conheço trabalharam muito e ainda continuam trabalhando muito em sua empresa. O que você precisa ter em mente é que se quiser aumentar o seu negócio, você precisa reorganizá-lo melhor. Precisa pensar em dispor de sistemas e processos, um manual operacional, um bom pacote de software de gestão de relacionamento com o cliente.  Mas muitos empresários não estão preparados para realocar tempo e energia para fazer isso. Para obter sucesso, você precisa trabalhar e investir no seu negócio, ao mesmo tempo.

Você já viu um corredor em uma corrida de atletismo?  Ele precisa manter-se correndo na pista e não sobre a linha enquanto se esforça para melhorar a eficiência para correr mais e mais rápido.

O mesmo conceito se aplica ao negócio. Se estiver buscando o crescimento do seu negócio, esteja preparado para se esforçar e trabalhar muito, principalmente durante os primeiros 5 anos. Não ser o melhor corredor não significa necessariamente que você não é um bom corredor, principalmente se estiver feliz com os resultados.

Medo de perder o controle ou falir

Muitos empresários não querem crescer, pois têm medo de perder o controle do negócio. Perder o controle significa não ser capaz de gerir um negócio maior e de manter o mesmo nível de qualidade do serviço.  Ter medo de falir, principalmente quando o negócio é bem sucedido, independentemente do tamanho, faz as pessoas evitarem dar o próximo passo.

Além disso, a rentabilidade do negócio varia, e para crescer, haverá momentos em que não terá lucro, e talvez seja aí que você se preocupe. À medida que os custos aumentam, o rendimento também precisa aumentar, mas nem sempre isso acontece. Alguns empresários estão felizes com os resultados, não querem mais arriscar, dessa forma, preferem não se aventurar em um território desconhecido, e optam por uma situação confortável.

¹PAYE: Pay As You Earn tax (sistema de retenção na fonte do imposto sobre o rendimento).

×

Hello!

Click below to chat on WhatsApp or send us an email to info@verticeservices.com

× Let's chat?